Hospital Santa Cruz - Logotipo

Acessar


Saúde e Bem-estar

Doenças transmitidas pelo beijo são alvos no Carnaval

10/02/2015

No carnaval a quantidade de parceiros tende a aumentar, o que pode trazer riscos à saúde se não houver precaução. Não é apenas pelo sexo que se transmitem doenças, a famosa doença do beijo, ou mononucleose, é transmitida pela simples troca de saliva que ocorre de uma boca para a outra e é comum entre adolescentes e adultos de ambos os sexos dos 15 aos 25 anos.

Segundo a infectologista do Hospital Santa Cruz de São Paulo, Dra. Graziella Hanna, a contaminação da doença é via respiratória e ocorre em contato com a secreção oral durante um beijo. “90% dos adultos mantém essa doença, como uma gripe que volta com a queda da imunidade. Não existe cura, pois a própria imunidade controla os sintomas. Nesta situação não há medicamentos específicos”, diz.

A mononucleose é uma doença causada pelo vírus Epstein-Barr que se caracteriza por uma forte febre variada entre 38 e 39 graus, além de prejudicar a garganta, faringe, fígados e baço. “Em alguns casos mais graves, a pele da pessoa tende a ficar amarelada, deixando uma possível dúvida de hepatite, porém, a doença se expressa principalmente pelo surgimento de herpes e aftas em grande quantidade”, afirma a infectologista. A pessoa infectada só começa a ter os sintomas após um período de três a quatro semanas.

Outras doenças, também virais, que estão relacionadas ao beijo são a herpes e o citomegalovírus. 

Outras notícias

  • Por que ingerir café à noite pode atrapalhar o sono?
    01/02/2018 Por que ingerir café à noite pode atrapalhar o sono?
  • Como manter a saúde no Outono
    03/05/2017 Como manter a saúde no Outono
  • Saiba tudo sobre impotência sexual masculina
    02/05/2017 Saiba tudo sobre impotência sexual masculina
  • Artrite e reumatismo são a mesma coisa?
    09/03/2016 Artrite e reumatismo são a mesma coisa?
  • Cólica renal: aprenda a identificar e saiba quando se preocupar
    16/02/2016 Cólica renal: aprenda a identificar e saiba quando se preocupar